Millydielle's Blog

4 de março de 2012

Uma mulher rejeitada

Filed under: Stella Florence — by milly_JF @ 13:55

Quero fazer uma pergunta romantico-obsessiva a você. Antes, porém, sou obrigada a contar uma história.

Arnaldo Baptista, o líder dos Mutantes, além de casado com a Rita Lee, arrastava por ela um bonde (chamado desejo), dois caminhões e três transatlânticos. Quando ela lhe deu o bilhete azul, seu mundo, já não muito estável por conta do excesso de drogas, ruiu de vez: internado numa clínica psiquiátrica, ele, no dia do aniversário de Rita, se jogou pela janela. Arnaldo sofreu fratura no crânio e entrou em coma. Pausa. Aqui entra uma personagem fundamental na nossa história: Lucinha, uma fã dos Mutantes que havia passado rapidamente pela cama de Arnaldo. O músico a esqueceu, mas ela, não. Suponho – abusando do ofício de ficcionista – que Lucinha, no coma do amado, viu sua grande chance: aproximou-se, fincou alicerces, tornou-se indispensável. O tempo foi passando e Arnaldo ganhou consciência, várias seqüelas e um casamento com Lucinha que dura até hoje.

Depois dessa introdução, aqui vai a tal pergunta romantico-obsessiva que eu queria tanto fazer. Preparada? Então me diga: quem você gostaria que entrasse em coma? Vamos lá! Deixe o politicamente correto de lado, deixe a óbvia gravidade do assunto de lado, deixe a recriminação religiosa de lado e se permita chutar o balde. Existe alguém que passou rapidamente os olhos e as mãos por você e seguiu em frente, alguém que se tornou inalcançável, alguém cujo desprezo te humilha, alguém que você adoraria ver acamado, dependente, e sobretudo, agradecido?

Aposto que, a essa altura, algum nome deve ter surgido na sua mente. Não resisto a perguntar um pouco mais. Uma vez que o seu escolhido estivesse indefeso, incapaz, dependente de você, qual seria sua reação? Cuidar com desvelo do precioso até ganhar o prêmio máximo, um matrimônio eterno, ou gritar no ouvido dele: ‘Bem-feito, seu filho de uma égua mal-parida!’? Ou ainda uma terceira, quarta ou vigésima opção?

A fúria de uma mulher rejeitada pode tomar as formas mais diversas: dedicação, controle, masoquismo, raiva, vingança, obsessão, santidade. Talvez essa tal fúria contenha, ao mesmo tempo, todos os bizarros ingredientes. Homens, cuidado: pensem duas vezes antes de rejeitar uma mulher. Aliás, pensam duas vezes antes de se aproximar de uma mulher! Nunca se sabe quem irá segurar seu balão de oxigênio no futuro.

Anúncios

Deixe um comentário »

Nenhum comentário ainda.

RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: